Movimento nas rodovias com pedágio cai 0,6% em novembro, diz ABCR

Fluxo de veículos pesados puxou queda

No ano, movimento aumentou 3,9%

O movimento de veículos nas estradas e rodovias com pedágio caiu 0,6% em novembro em relação ao mês anterior. Os dados foram divulgados nesta 3ª feira (10.dez.2019) pela ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias).

O índice de fluxo pedagiado de veículos leves apresentou queda de 0,1% em novembro em relação à outubro. O de pesados caiu 0,6%.

Para Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria, o resultado deve ser observado com cautela. Segundo ele, não representa uma piora do cenário de fluxo de veículos, mas sugere certa acomodação dos ganhos, após uma sequência predominantemente positiva nos últimos 6 meses -incluindo o significativo crescimento de outubro.

“Adicionalmente, do ponto de vista dos custos, vale ressaltar o comportamento dos combustíveis. Após 1 período relativamente favorável, a Petrobrás anunciou elevação nos preços da gasolina e diesel. Os novos valores começaram a valer a partir da metade de novembro e devem gerar efeitos também em dezembro”, diz Xavier.

Comparado ao mesmo período de 2018, o índice total cresceu 3,2%. O fluxo pedagiado de veículos leves registrou alta de 3,3%, enquanto o fluxo de pesados cresceu 2,6%.

Dessa forma, no acumulado do ano, houve expansão de 3,9% do índice total, dinâmica que reflete o crescimento totalizado tanto por leves como pesados, os quais acumulam ganhos de 3,7% e 4,3%, respectivamente.

“Vale notar que as métricas de comparação mais longas – comparação anual e no acumulado 12 meses -, o quadro é de continuidade da trajetória de crescimento mais robusto do que o apresentado no início do ano, em linha com os sinais maior crescimento da economia”, ressalta o analista.

O QUE É O ÍNDICE ABCR?

O índice mede o fluxo de veículos nas estradas e rodovias do país sob concessão privada. É produzido pela ABCR, em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

Os dados, divididos entre veículos leves, como os carros de passeio, e pesados, como caminhões, podem ser analisados como indicadores do desempenho da economia brasileira, especialmente em relação à atividade de setores da indústria, comércio e serviços.