• Home »
  • Polícia »
  • PRF na Bahia apreende quase 10.000 litros de whisky falsificado em um caminhão roubado

PRF na Bahia apreende quase 10.000 litros de whisky falsificado em um caminhão roubado

A bebida estava escondida atrás de uma carga de sacas de sal e caixas vazias para transporte de frutas e seria comercializada na capital paulista.

Na tarde de ontem (11), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou a apreensão de 9.600 garrafas de whisky falsificado em um caminhão-baú na BR 116 KM 677, região da cidade de Jequié (BA), distante 367 quilômetros da capital baiana. A ocorrência teve apoio da CIPE-Central (Polícia Militar) local.

Os policiais abordaram o caminhão e questionaram ao condutor qual a carga que estava carregando. O homem, de 58 anos, apresentando contradição e nervosismo, respondeu que levava sal da cidade de Mossoró do Rio Grande do Norte para capital paulista.

Porém, ao verificar o compartimento de carga de maneira minuciosa, os agentes federais localizaram atrás das sacas de sal e caixas vazias para transporte de frutas, a quantidade de 800 caixas de whisky , contendo 12 garrafas em cada uma, que ostentavam a marca Red Label, porém, com indícios de falsificação.

O motorista assumiu a propriedade da bebida e informou que adquiriu cada caixa, contendo 12 unidades, pela quantia de R$ 50,00, na cidade de Mossoró (RN) e venderia na cidade de São Paulo por valor ainda a negociar.

Relatou ainda que pagou R$ 500,00 a um motorista, o qual não soube precisar a placa nem os dados da pessoa, para deslocar antes em outro carro e informar a existência de policiamento no caminho, correspondente ao estado do Ceará até a cidade de Vitória da Conquista (BA). O homem também portava dois celulares e a quantia de R$ 2843,00 em espécie.

Ainda, os PRFs realizaram procedimento avançado de identificação veicular e constataram que o veículo era um clone de um outro carro idêntico com ocorrência de furto na cidade de Betim (MG), registrado em 21/01/2018 .

Diante dos fatos, o condutor foi preso e encaminhado à Delegacia Civil juntamente com o veículo, a carga, os dois celulares e quantia em dinheiro que portava, para os procedimentos cabíveis.