• Home »
  • Notícias »
  • Tráfego de caminhões em estrada em Atibaia é fiscalizado para frear evasão de pedágio na D. Pedro

Tráfego de caminhões em estrada em Atibaia é fiscalizado para frear evasão de pedágio na D. Pedro

G1

A estrada dos Pires, que cruza três bairros da zona rural de Atibaia (SP), teve a fiscalização reforçada. A ação tem como objetivo frear a evasão do pedágio na Dom Pedro por meio do corredor. Os caminhoneiros flagrados cometendo a infração vão pagar uma multa de R$ R$ 130,16, imposta pela prefeitura.

(Correção: O G1 errou ao informar o valor da multa. A informação foi corrigida às 11h17 de 12 de abril)

O tráfego na estrada está proibido para os caminhões com mais de seis toneladas e com mais de dois eixos. A passagem de veículos pesados no local precisa ter autorização da Secretaria de Transportes.

A via é paralela à rodovia Dom Pedro e é rota usada pelas transportadoras. “Tenho vários clientes que precisam ser guinchados e eu tenho que passar, não tem jeito”, argumentou Klaus Huben, dono de uma transportadora.

O excesso de caminhões pesados que circulavam pela estrada é justificada por parcela dos caminhoneiros pelo valor do pedágio, que é atualmente de R$ 8,60 por eixo. “O pedágio na região é muito caro”, reclamou o caminhoneiro Denilson Alves.

O trânsito intenso deixa marcas no caminho. Os buracos são alvo de reclamação dos moradores. “Os caminhões passam dia e noite porque pessoal não aguenta o preço do pedágio”, falou o comerciante Claudinei Moreira.

Decreto

De acordo com o decreto da prefeitura, só terão autorização para circular pela estrada os caminhoneiros que trabalham ou moram na região. Além daqueles que comprovarem que prestam serviço na região da estrada, como é o caso do Klaus.

“A intenção é manter o trânsito entre os moradores e comerciantes”, disse Lucas Cardoso, secretário de transportes e trânsito da cidade.

Para conseguir a autorização é preciso preencher o formulário e pagar a taxa no valor fixo de R$ 40. No primeiro mês de fiscalização foram multados quase 400 caminhões e o movimento caiu 80% por causa da medida.