Categorias
Concessões Notícias Pedágios

Artespconfirma intenção de instalar dois pedágios

A Artesp (Agência de Transporte de São Paulo) realizou audiência pública em São Paulo, ontem, para apresentar o projeto de concessão de quatro novos lotes de rodovias no Estado que vão abranger 2,3 mil quilômetros de pistas. Durante o encontro, foi informada a intenção de implantar duas praças de pedágio na região de Franca, uma na Cândido Portinari e outra na Ronan Rocha. Diante da repercussão negativa, o governo divulgou nota afirmando que é apenas um “estudo”. Autoridades que participaram do encontro avaliam a decisão como “irreversível”.
A reunião de ontem, no auditório do DER, foi a primeira de uma série de cinco audiências públicas que vão percorrer o Estado para discutir o projeto da nova etapa de concessões rodoviárias. Na apresentação por Power Point, constou o planejamento de instalação de pedágios no km 417 da Cândido Portinari, altura do município de Cristais Paulista, próximo ao trevo de acesso a Jeriquara, e no km 27 da Ronan Rocha, entre Franca e Patrocínio Paulista.
Durante visita a Franca, no dia 29 de dezembro, o governador Geraldo Alckmin confirmou que eram realizados estudos e que a instalação de novas praças de pedágios nas duas pistas não estava descartada.
Anteriormente, havia um compromisso do governo do Estado de fazer as melhorias nas rodovias sem que o investimento resultasse em novas praças de pedágios. O deputado Roberto Engler (PSDB) bancou a informação em suas campanhas eleitorais e espalhou outdoors e panfletos na região garantindo que as obras seriam feitas sem pedágio.
Entrevistado pelo programa Hora da Verdade, da Rádio Difusora, ele disse ter ficado surpreso com a mudança de opinião do governador. “Cabe ao parlamentar repetir a palavra do governador. Se ele resolveu mudar a posição dele, a responsabilidade não é minha. Me parece que, dadas as circunstâncias nacionais e do País, ele mudou de ideia. Coloquei para o governador que ele precisava se posicionar oficialmente sobre isso porque ficamos com duas palavras junto à população, mas ele não me respondeu”. Engler afirmou que, ao que tudo indica, a região será mesmo “presenteada” com duas praças de pedágio. “É preciso saber se vamos ter novos investimentos nas pistas. Se vamos receber o ‘presente’, temos que entregar a fatura para o governo pagar”, disse. O deputado admitiu que deverá sofrer consequências políticas e que a relação com Alckmin ficará estremecida. “Ele tomou uma decisão e arrastou com ele um deputado de 25 anos, sete mandatos, companheiro dele desde a primeira hora e fica por isto mesmo. Vou colocar isto na audiência pública, pois devemos uma resposta à população”, completou, se referindo à reunião que será realizada em Araraquara, dia 1º de fevereiro, quando a proposta voltará a ser debatida.
Marcos Ferreira (PT), prefeito de Patrocínio Paulista, afirmou que encaminhará um documento de repúdio ao governador e à Assembleia Legislativa. “Na verdade, aconteceu um grande estelionato eleitoral do deputado Roberto Engler e do governador. Eles sempre falaram que não teria pedágios”.
Em nota encaminhada à redação, a Artesp afirmou que a apresentação foi “apenas uma proposta” de pedagiamento. “As audiências públicas servem para discutir esse assunto e receber as sugestões da sociedade civil organizada. Tudo pode mudar”.
O vice-prefeito de Rifaina, Alcides Diniz, que participou da reunião em São Paulo, acredita ser pouco provável que o governo volte atrás. “Acho muito difícil reverter a decisão. As lideranças da região precisam se unir e brigar para mostrar que os pedágios não são viáveis. No nosso caso, vamos lutar para levar a duplicação até Rifaina”. (gcn.net.br)