Aumento no número de reclamações sobre rodovias da RMC chega a 89,4%

Do G1 Campinas e Região

As concessionárias que administram as rodovias da Região Metropolitana de Campinas (RMC) tiveram um aumento de até 89,4% no número de reclamações de motoristas, segundo um balanço da Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). As principais queixas são o valor do pedágio, má conservação das vias e falta de segurança.

A concessionária Rodovias do Tietê, responsável pelas estradas Rodovia do Açúcar (SP-308), que liga Piracicaba (SP) ao município de  Salto (SP), e também pelo trecho que une as cidades de Monte Mor (SP) e Campinas (SP), lidera o ranking de reclamações. Em 2014, a concessionária foi alvo de 38 reclamações, já em 2015, 72, uma alta de 89,4%.

Juntas, a Rodovia do Açúcar e o trecho que liga Monte Mor (SP) a Campinas (SP) registraram 40 reclamações, sendo nove por tráfego e nove por problemas no pavimento e conservação.

Entre as cidades de Monte Mor e Capivari, também administrados pela Rodovias do Tietê, foram registrados os trechos com maior número de buracos.

Já sobre a falta de segurança, a rodovia que mais registrou reclamações foi a Santos Dumont, administrada pela Rota das Colinas.

Na Rodovia do Açúcar, principal reclamação dis respeitos aos buracos e elevações  (Foto: Reprodução/EPTV)

Na Rodovia do Açúcar, principal reclamação diz respeito aos buracos (Foto: Reprodução/EPTV)

Buracos e elevações
EPTV, afiliada da TV Globo, percorreu a Rodovia do Açúcar e encontrou trechos com buracos e elevações.

Para o caminhoneiro Paulo César Tardelli, não há motivos para a rodovia estar nessas condições. “Deveria estar um tapete, né? Já que faz pouco tempo que foi feita [a obra]”, afirma.

Assim também pensa o motorista Daniel Oliveira. “Cobram pedágio, mas não arrumam a estrada”, diz.

Tráfego lento
Já na região da SP-101, que une as cidades de Hortolândia (SP) e Campinas (SP), para motoristas como o comerciante Rodrigo Trindade, o maior problema está no trânsito.

“A gente sai um horário um pouco mais cedo e, às vezes, se depara com esse trânsito e chega atrasado”, afirma. Já para o garçom Edson Ernani Silva, que costuma utilizar moto, o problema está na quantidade de buracos encontrados pelo caminho “É arriscado cair”, afirma.

Segundo a Polícia Rodoviária, houve um aumento na fiscalização dos pontos mais perigosos da rodovia Santos Dumont. Já as concessionárias Rota das Bandeiras e Colinas afirmam que estão investindo em obras de recuperação das vias. A Renovias não comentou o caso e a EPTV não conseguiu contato com a Rodovias do Tietê.

Os motoristas que quiserem registrar reclamações sobre as condições das estradas podem procurar a Ouvidoria da ARTESP pelo 0800 727 83 77 ou preencher um formulário diretamente no site da agência reguladora.