Concessionária afirma que cumpre compromisso com ANTT

A Tribuna MT

A Concessionária Rota do Oeste, detentora da concessão da BR-163 em Mato Grosso, manteve contato ontem com o Jornal A TRIBUNA para assegurar que vem cumprindo o acordo feito com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no qual assumiu a responsabilidade pela manutenção e conservação da rodovia em um trecho de 174 quilômetros entre Cuiabá e Rondonópolis, com exceção da Serra de São Vicente, por um período de 9 meses, iniciando em outubro de 2015 e findando em 18 de junho próximo.

Segundo concessionária, independentemente do cronograma, o compromisso assumido pela empresa com a ANTT era de concluir, em um prazo de 9 meses, os trabalhos de recuperação do trecho entre Rondonópolis e Cuiabá de acordo parâmetros previamente estabelecidos

Segundo concessionária, independentemente do cronograma, o compromisso assumido pela empresa com a ANTT era de concluir, em um prazo de 9 meses, os trabalhos de recuperação do trecho entre Rondonópolis e Cuiabá de acordo parâmetros previamente estabelecidos

Em uma nota, a Rota do Oeste contesta pontos da reportagem intitulada “Concessionária mantém conservação entre Roo-Cuiabá até 18/6”, publicada na edição desta quarta-feira (01/06) do Jornal A TRIBUNA, que informa haver entendimentos de que a concessionária não cumpriu os 9 meses acordados com a ANTT para manutenção e conservação desse trecho. Segundo a empresa, inicialmente, não existe, entre os órgãos oficialmente envolvidos, dúvida em relação ao início ou término do prazo de 9 meses em que a concessionária realizou a conservação no trecho. Atesta que nem a ANTT, órgão regulador, tampouco o Departamento Nacional de Transportes Terrestres (DNIT), que recebe de volta as obrigações pelo trecho, têm entendimento diferente de que a data final deste período de trabalho é 18 de junho.
Em outro posicionamento, a concessionária acredita que não existem dúvidas que, desde o início do prazo, atua para a melhoria do trecho. Informa que os primeiros esforços foram concentrados no trecho entre Cuiabá e a Serra de São Vicente e nas regiões do distrito de Santa Elvira e travessias de Juscimeira e São Pedro da Cipa. Assim que os pontos mais críticos foram atacados com ações emergenciais de tapa-buracos e, com o fim período de chuvas mais intensas, diz que a Rota do Oeste iniciou a restauração do trecho compreendido de Rondonópolis até a Serra de São Vicente. “É preciso entender que obras de infraestrutura, em especial em locais com a manutenção defasada, demandam tempo para apresentar os primeiros resultados. Também é preciso entender que os trabalhos no período chuvoso são naturalmente menos eficientes do que os realizados no período seco”, alegou.
Além disso, a concessionária esclareceu à reportagem que, independentemente do cronograma, segundo eles elaborado tecnicamente de acordo com a criticidade, clima e segurança, o compromisso assumido pela empresa com a ANTT era de concluir, em um prazo de 9 meses, os trabalhos de recuperação do trecho de acordo parâmetros previamente estabelecidos. “Quem passa por este trecho hoje percebe de forma clara que a tarefa foi cumprida”, avalia a empresa.