• Home »
  • ANTT »
  • Protestos causam retenção em vários pontos e Rio entra em estágio de atenção

Protestos causam retenção em vários pontos e Rio entra em estágio de atenção

Rio começou com problemas no trânsito no começo da manhã desta sexta-feira (30). Os motoristas e passageiros encontram problemas para chegar ao Centro da capital por causa de protestos em várias vias importantes da cidade.

As manifestações foram convocadas por centrais sindicais, que se posicionam contra as reformas previdenciária e trabalhista. Entre as reivindicações, também está a saída do presidente Michel Temer.

Pista sentido Centro da Avenida Brasil é bloqueada

Pista sentido Centro da Avenida Brasil é bloqueada

Estágio de atenção

O Rio entrou em estágio de atenção às 6h21, segundo o Centro de Operações da Prefeitura, devido aos protestos. Às 6h30, havia cerca de 30 quilômetros de congestionamentos registrados pela cidade. Cerca de 30 minutos depois, a lentidão já chegava a quase 50 quilômetros, cerca de 30 quilômetros a mais que o previsto para o horário.

O estágio de atenção é o segundo nível em uma escala de três e significa que “um ou mais incidentes impactam, no mínimo, uma região, provocando reflexos relevantes na mobilidade”.

Transportes

Metrô, trem, VLT, BRT e ônibus estavam funcionando normalmente pela manhã. Segundo as operadoras, os modais estão reforçados para absorver o aumento da demanda devido aos bloqueios em grandes vias.

Trânsito congestionado na Linha Vermelha (Foto: Reprodução/Centro de Operações)

Trânsito congestionado na Linha Vermelha (Foto: Reprodução/Centro de Operações)

Linha Vermelha

De acordo com informações do Centro de Operações Rio, manifestantes fecharam a Linha Vermelha, sentido Centro, na altura do Fundão. Às 6h25, a via foi completamente liberada. O trãnsito seguiu com muita lentidão, desde a altura de Vigário Geral.

Manifestantes fizeram protesto na entrada da Reduc (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Manifestantes fizeram protesto na entrada da Reduc (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Ponte

A saída para a Avenida Brasil da Ponte Rio-Niterói chegou a ser interditada, mas foi liberada pouco depois das 6h. Às 7h, o tempo de travessia era normal, de 13 minutos.

Avenida Brasil

O trânsito ficou muito congestionado na Avenida Brasil, interditada na altura da Penha, na Zona Norte do Rio, sentido Centro. A pista central chegou a ficar totalmente fechada, mas foi liberada por volta das 7h30. A pista lateral seguiu interditada.

Motoristas que seguem da Zona Oeste para o Centro pela Avenida Brasil podem acessar a Avenida Pastor Martin Luther King Junior, na altura de Acari. Da Zona Oeste para a região da Barra da Tijuca, a melhor opção é seguir pela TransOlímpica.

Os motoristas também encontram interdições causadas por protestos na altura da Rua Leopoldo Bulhões, altura dos Correios, em Benfica, na Zona Norte.

Muitos passageiros chegaram a descer dos ônibus da Avenida Brasil em direção a estações de trem para tentar continuar o trajeto.

Equipes  da concessionaria que administra a Ponte Rio-Niterói apagam fogo para liberar a via após protesto (Foto: Miguel Folco/ G1)

Equipes da concessionaria que administra a Ponte Rio-Niterói apagam fogo para liberar a via após protesto (Foto: Miguel Folco/ G1)

Aeroportos

Os aeroportos Santos Dumont e Galeão funcionam normalmente. Houve, no entanto, protestos no acesso ao Galeão, com o fechamento parcial da Avenida 20 de janeiro, que dá acesso ao aeroporto internacional. O tráfego ficou muito lento para quem tentava acesso aos terminais. Dentro do Galeão, o movimento era tranquilo, como mostrou a GloboNews.

Houve manifestação também no saguão do Aeroporto Santos Dumont, mas já foi encerrada. O acesso pelo Aterro do Flamengo fluía normalmente.

Nos dois aeroportos, segundo a Infraero, não houve atrasos ou cancelamentos.

Barcas

Há protesto também na porta da estação Araribóia das barcas, em Niterói, mas o funcionamento é normal. A concessionária CCR Barcas informou que obteve liminar na Justiça e o apoio da Polícia Nilitar para evitar interdição no acesso, como ocorreu no fim de maio, quando houve outra paralisação geral.

Manifestação não impedia acesso às barcas na estação Araribóia por volta das 6h30 (Foto: Pedro Figueiredo/TV Globo)

Manifestação não impedia acesso às barcas na estação Araribóia por volta das 6h30 (Foto: Pedro Figueiredo/TV Globo)

Escolas

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) e o sindicato dos professores informaram que aderiram ao dia de paralisação e, portanto, não haveria aulas nesta sexta-feira.

A Secretaria de Estado de Educação informou, no entanto, que as unidades escolares funcionarão normalmente. Muitas escolas particulares também tiveram aulas.

Bancos

O Sindicato dos Bancários do Rio informou que os trabalhadores também estão aderindo à greve geral desta sexta-feira. A expectativa do Sindicato, que representa a categoria, é de que as agências bancárias, além dos cinco centros administrativos dos bancos, não funcionem hoje.