• Home »
  • Notícias »
  • Cai número de mortes em rodovias federais em 2016, mas colisões frontais preocupam

Cai número de mortes em rodovias federais em 2016, mas colisões frontais preocupam

Correio 24h

Caiu o número de acidentes e de mortes nas rodovias federais que cortam a Bahia em 2016, quando comparado ao ano passado. Esse é a conclusão do balanço anual da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado nesta quinta-feira (19). Em média, foi registrada 1,6 mortes por dia nas BRs, com um total de 611 mortes ocorridas entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2016. O número é 3,1% menor do que o registrado em 2015, quando 631 morreram nas estradas federais baianas.

Acidente grave na BR-110, próximo a São Sebastião do Passé, deixou cinco mortos (Foto: Leitor CORREIO)

Acidente grave na BR-110, próximo a São Sebastião do Passé, deixou cinco mortos (Foto: Leitor CORREIO)

Ao todo, foram registrados no último ano 5.424 acidentes nas estradas, o que, segundo dados da PRF, representa uma redução de 22,8% em comparação com 2015, quando 7.027 ocorrências foram contabilizadas. O único indicador que apresentou leve acréscimo foi de feridos graves, indo de 1197 para 1212.

Colisões frontais
Em nota, a Polícia Rodoviária Federal atribuiu os resultados a intensificação do trabalho de fiscalização “Os indicadores positivos alcançados são consequência direta dos esforços empregados pela PRF na fiscalização do trânsito no ano que passou. Foram mais de 515 mil veículos fiscalizados nas rodovias federais da Bahia, sendo que quase 145 mil condutores foram submetidos ao teste do etilômetro”.

Entre as ocorrências do ano passado, as colisões frontais chamam a atenção por conta do número de mortes causadas por esse tipo de acidente. Em números gerais, esse tipo de acidente é o nono que mais ocorre nas rodovias federais do estado, mas quando é levada em consideração a gravidade, pula para a primeira posição. Em 294 registros, foram 239 vítimas fatais e ainda 289 feridos graves.