• Home »
  • Rodovias »
  • Rodovia dos Tamoios é interditada no trecho de serra por risco de queda de barreiras

Rodovia dos Tamoios é interditada no trecho de serra por risco de queda de barreiras

Interdição teve início durante a madrugada e faz parte de protocolo de segurança devido ao volume de chuvas.

A rodovia dos Tamoios (SP-99) foi interditada no trecho de serra na madrugada desta sexta-feira (5) por causa do risco de queda de barreiras. As rotas alternativas para os motorista são as rodovias Oswaldo Cruz (SP-125), Mogi-Bertioga (SP-98).

O bloqueio teve início por volta das 3h20 e faz parte de um protocolo de segurança que determina que seja feita a interdição caso os pluviômetros registrem 100 milímetros de chuva em 72 horas.

Segundo a concessionária, equipes realizam o monitoramento do trecho e dos índices de chuva na rodovia. Na manhã desta sexta, um dos pluviômetros registrava o acúmulo de 126 mm de chuva nos últimos três dias. Durante a madrugada, não foram registradas quedas de barreiras.

De acordo com a concessionária, a interdição é feita na altura do Km 58, no sentido litoral, e no Km 81, sentido São José dos Campos. A via, que é a principal ligação entre o Vale do Paraíba e o litoral norte paulista, tem fluxo liberado no trecho de planalto.

Interdições

A Rodovia dos Tamoios foi interditada outras sete vezes neste ano por causa do risco de deslizamentos. O Ministério Público cobra ações para evitar interdições da concessionária Tamoios no trecho de serra da rodovia.

As interdições ocorreram neste ano:

1ª interdição: dia 6 de fevereiro ela ficou fechada por um dia após fortes chuvas.

2ª interdição: dia 19 de fevereiro foi bloqueada por mais 12 horas pelo acumulado de chuva.

3ª interdição: dia 11 de março por mais de 30 horas.

4ª interdição: dia 16 de março por 12 horas também devido a risco queda de barreira.

5ª interdição: dia 28 de março por 12 horas por risco de deslizamento.

6ª interdição: dia 29 de março por uma hora por risco de deslizamento.

7ª interdição: dia 16 de março por 40 horas após deslizamento de terras na pista.